Curriculum Vitae Resumido

Walter Silva
Jornalista Profissional - MS - 1533
Brasileiro - São Paulo - Capital
Nascimento: 07/03/1933 


1952 Iniciou-se em rádio na Rádio Piratininga como locutor comercial.
1953

Rádio 9 de Julho, emissora oficial do 4o Centenário de São Paulo como locutor e apresentador.

1954 Rádio Cultura como locutor e apresentador.
1955 Rádio Mayrink Veiga e Mundial, Rio de Janeiro.
1956

Rádio Nacional do Rio de Janeiro como apresentador dos espetáculos musicais do Departamento de Intercâmbio.
Responsável pela divulgação de discos do selo RGE.

1957

Diretor de Divulgação deste selo em São Paulo.
Responsável pelo lançamento do primeiro programa do gênero "Disc-Jockey" (a Toca do Disco) na Rádio Record em São Paulo.
Sindicaliza-se como jornalista profissional.

1958 Rádio Bandeirantes. Programa "O Pick-up do Picapau".
1960

Premiado como o melhor repórter esportivo da televisão (TV Tupi).

1962

Presente, como repórter ao festival de Bossa Nova no Carneggie Hall em Nova Iorque, para a Rádio Bandeirantes, com exclusividade.

1963 Rádio Excelsior. Prêmio Roquette Pinto, o melhor Disc-Jockey.
1964

Responsável pelos espetáculos de música no Teatro Paramount (O Remédio é Bossa, Mens Sana In Corpore Samba, Primeira Denti-Samba entre outros).
Rádio Record - O Pick-up do Picapau.
Produz o primeiro disco de Chico Buarque "Pedro Pedreiro".

1965

Produz o LP "Dois na Bossa" com Elis, Jair e Jongo Trio no Paramount, show que durou três dias (9, 10 e 12 de abril) e virou o primeiro LP a atingir a casa do milhão de discos vendidos.
Rádio Bandeirantes "BO65" primeiro no Ibope.

1966

Produz "Paulistas e os Cariocas" no Teatro Maria Della Costa com "Os Cariocas", Ivete e Gilberto Gil, que pisava no palco pela primeira vez.

1967

Rádio Piratininga "O Pick-up do Picapau" primeiro no Ibope.
Show "A Volta" Teatro Paramount, onde Milton Nascimento canta pela primeira vez em público, "Travessia" e "Morro Velho" entre outras. Neste show foi lançado também Renato Teixeira (17 de abril).

1968 Rádio Nacional. "O Pick-up do Picapau" primeiro no Ibope.
1969

Rádio Tupi. "O Pick-up do Picapau" primeiro no Ibope
TV Tupi como narrador de futebol americano, o primeiro na América Latina.

1970

Diretor artístico da Gravadora Continental, onde lança: Célia, Pessoal do Ceará, Walter Franco e Secos e Molhados.
Narrador de futebol, ganha todos os prêmios tendo Plínio Marcos como comentarista.

1971

Assina diariamente uma coluna sobre música popular brasileira, rádio e discos, no jornal "Folha de S. Paulo" por dez anos (até 1981).

1972

Responsável pelo setor de rádio e televisão do SIGESP (Serviço de Imprensa do Governo do Estado de São Paulo).
Membro do júri do F.I.C. da TV Globo.

1973

Lança na TV Record "Mixturação" com Simone, Valter Franco, Pessoal do Ceará, Haréton Salvanini, etc..

1974

Produtor do programa "Mambembe" na TV Bandeirantes onde lança Thomas Roth entre outros.
Cria espetáculos para a Alcântara Machado entre eles: "Arca de Noé" (só animais) e o show de Rick Wakeman.

1975

TV Globo. Diretor musical do Fantástico.
Narrador de futebol.
Produtor da gravadora RCA Victor, responsável pela produção dos LPs de Ednardo "Romance do Pavão Mysteriozo" e "Chão Sagrado" com Roger e Teti.
Diretor do Sindicado dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo.

1978 TV Globo. Narrador de futebol.
1979 Diretor do programa Hebe Camargo na TV Bandeirantes.
1980 Assessor do Secretário da Cultura, João Carlos Martins.
1981 Rádio Escelsior. "O Pick-up do Picapau" primeiro no Ibope.
1984

Rádio Cultura AM. Programas "Musicultura", "Música Popular Walter Silva" e "Quais as músicas que fizeram a sua cabeça?".

1987

Aposenta-se e passa a escrever para jornais, revistas e fazer palestras sobre comunicações em todo o Brasil para estudantes da área.

1996

Dirige o projeto Memória do Rádio Paulista para o Museu da Imagem e do Som.

1999

Passa a escrever semanalmente no Diário do Grande ABC.

2000

Passa a escrever mensalmente no Jornal da Tarde.

2000

Recebe o prêmio Wladimir Herzog de Direitos Humanos por participar da diretoria  do sindicato dos jornalistas quando do assassinato de Vlado nas dependências do DOI-COD há 25 anos.